Casa de Cultura

A Casa de Cultura tem por finalidade incentivar, administrar e organizar atividades culturais no município e promover a defesa do seu patrimônio histórico, artístico e cultural. Antiga casa paroquial dos padres capuchinhos, seu primeiro pavimento funcionou como armazém, sofrendo com isso modificações no seu aspecto externo para o seu uso. Onde existiam portas foram instaladas janelas, preservando-se apenas a atual porta de entrada do sobrado.

Com a mudança dos padres capuchinhos para o novo convento no alto da colina do Senhor Bom Jesus de Matozinhos, os religiosos usaram o casarão como residência e alugavam para as famílias de juízes, médicos e outras personagens de passagem pela cidade.

O sobrado é de tipologia arquitetônica antiga, ainda do período colonial. O sistema construtivo é de estrutura autônoma de madeira e vedações em pau-a-pique e tijolos. As esquadrias são de madeira, com verga em arco abatido, e os forros são em esteira. Os pisos em pedras rústicas na circulação e cozinha, e em madeira nos outros ambientes do pavimento inferior e em todo o superior. O telhado da casa está construído em quatro águas, com telhas tipo “cumbuca”, com beirais protegidos por tabuado reto em cimalha.

Tem escada central e pequena circulação no segundo pavimento, distribuindo para os cinco ambientes interligados do segundo pavimento. A fachada principal apresenta um conjunto de cinco sacadas isoladas, com guarda-corpo em ferro batido em desenhos curvos. Nos fundos apresenta varanda no pavimento superior e grande cozinha aberta no pavimento inferior.

O prédio foi completamente restaurado em 2001 e 2002 e hoje abriga a sede da Fundação Casa da Cultura. A beleza e o estado de preservação o tornam uma atração à parte dentro do centro histórico da cidade.

Secretaria Municipal de Turismo
Praça João Paulo, nº 07 – Centro – CEP: 35.860-000
Telefone: (31) 3868-2223 – Telefax: (31) 3868-1219
Horário de atendimento: 8h às 17h
Fonte: Plano de Desenvolvimento Sustentável Município de Conceição da Mato Dentro (2007). Autores: Ézio Dornela Goulart e  Sociedade dos Amigos do Tabuleiro